Página PrincipalApresentaçãoEndereçosNossa LiteraturaMensagensEncontrosFale Conosco
Site Oficial


 

Apresentação

 


Breve histórico, clique e conheça

 

INFORMAÇÕES SOBRE O GRUPO MADA - 
MULHERES QUE AMAM DEMAIS ANÔNIMAS

MADA é um programa de recuperação para mulheres que têm como objetivo primordial se recuperar da dependência de relacionamentos destrutivos, aprendendo a se relacionar de forma saudável consigo mesma e com os outros.

O grupo foi criado baseado no livro "Mulheres que Amam Demais", de 1985, da autora Robin Norwood, Ed. ARX.

 A psicóloga e terapeuta familiar Robin Norwood escreveu o livro baseado na sua própria experiência e na experiência de centenas de mulheres envolvidas com dependentes químicos. Ela percebeu um padrão de comportamento comum em todas elas e as chamou de "mulheres que amam demais". No final do livro ela sugere como abrir grupos para tratar da doença de amar e sofrer demais.

 No Brasil o primeiro Grupo MADA foi aberto em São Paulo, por uma mulher casada com um dependente químico que se identificou com a proposta do livro. A primeira reunião do Grupo MADA - Jardins, em São Paulo, foi realizada em 16 de abril de 1994. Em seguida, no Rio de Janeiro, a primeira reunião aconteceu em 06 de julho de 1999.

 O Grupo MADA cresceu e, atualmente temos mais de 48 reuniões semanais no Brasil distribuídas em 11 Estados e o Distrito Federal, e, 01 reunião em Portugal, em Lisboa, e 03 reuniões na Venezuela, em Caracas.

As mulheres do Grupo MADA compartilham com as "recém-chegadas" - significado de participar de uma reunião pela primeira vez. Todas passaram por problemas de relacionamento e compreendem o que a recém-chegada sente.

 O Grupo MADA propõe à mulher recém-chegada que dê ao grupo e dê a si mesma uma chance, assistindo a 06 (seis) reuniões consecutivas, pelo menos, que serão chamadas de "Primeira Vez", mesmo tendo dúvidas sobre se o grupo é o lugar apropriado para a sua recuperação.

 Nestas primeiras reuniões a mulher será recebida por diferentes coordenadoras e verá como funciona o Grupo MADA.

 Tem sido comprovado que seis vezes é um bom tempo para que a recém-chegada possa decidir se existe identificação com a problemática de adicção a pessoas, e, se quer trabalhar sua recuperação no grupo.


Perguntas mais freqüentes



>> Quem são os membros de MADA e por que estão aqui?
São mulheres que tem um vínculo que as une: acreditam que a dependência de relacionamentos afeta profundamente suas vidas. Reunem-se para partilhar suas experiências, fortalezas e esperanças.

>> Como receber ajuda?
Provavelmente alguém falará sobre uma situação que se assemelha à sua. A partir de uma experiência pessoal e, sem dar conselhos ou fazer interpretações psicológicas, é oferecida ajuda. Mesmo que não encontre ninguém nas mesmas condições que as suas, poderá se identificar com a forma com que muitas das mulheres sentem os efeitos que a dependência de pessoas produz em suas vidas.

>> Quem vai ao grupo precisa dizer alguma coisa?
Não. Se preferir, pode somente escutar. A mulher é livre para escolher, mas a experiência indica que compartilhar com pessoas que entendem seu problema traz muito alívio. Guarda-se o que serve e descarta-se o resto.

>> Alguém saberá que estive aqui?
Não. Recomenda-se respeitar o anonimato de cada participante. Usa-se apenas os nomes das mulheres. Não se fala das mulheres que participam das reuniões, nem é repetido o que é ouvido delas. Protege-se também o anonimato daquelas pessoas das quais as mulheres são dependentes.

>> Trata-se de uma irmandade religiosa?
Não. Aceita-se a idéia de que há um Poder Superior, que nos ajuda a resolver os problemas e a encontrar a paz espiritual. A crença de cada mulher é uma questão pessoal e, portanto, respeitada como tal.

>> Quem dirige este grupo?
Todas as mulheres. Porém, para manter a ordem e conseguir um funcionamento uniforme, elege-se as coordenadoras do grupo que irão exercer suas funções. Todas trabalham como voluntárias para manter o local em ordem.

>> Existem outros grupos como este?
Sim, veja os endereços clicando neste link.
 

>> Quanto irá me custar ?
Não há mensalidades ou honorários a serem pagos para unir-se a este grupo. O sustento provém das próprias contribuições, que são feitas de forma voluntária. Usa-se o dinheiro arrecadado para pagar o aluguel da sala, comprar livros referentes ao tema e para manter os próprios módulos de literatura.

>> E agora, o que é que eu faço?
Para as MADAs tem sido útil assistir regularmente às reuniões de MADA, falar com alguém antes e depois das reuniões, entrar em contato com as demais companheiras, telefonar para elas entre uma reunião e outra, compartilhar os problemas com um grupo que as entende, respeita e não julga. É oferecido à você compreensão e solidariedade. Se, após seis reuniões, você decidir freqüentar as reuniões, o Grupo MADA de mútua-ajuda estará esperando por você, para podermos trabalhar todas juntas.


No grupo:

- Não se deve dar conselhos: todas são bem vindas a partilhar suas experiências e o que as ajudou a se sentir melhor. O tratamento se baseia em espelhos, não em conselhos.

- Procure falar sobre você e sua recuperação: estamos reunidas com a proposta de falar sobre nossa forma de nos relacionar, interessadas no nosso próprio crescimento, desenvolvendo novos instrumentos para lidar com velhos problemas.



Veja também:


» Características de uma mulher que ama demais

»
  Características de uma mulher que se recuperou de amar demais
» A Primeira Vez 


   
   
  [ voltar ] - [ topo ]

 

     



:: Site desenvolvido e hospedado por ::


GridWeb Tecnologia e Publicidade

Desenvolvimento de Sites e Portais
Notícias da Baixada Fluminense, Rio de Janeiro
Boletim do imóvel, notícias do mercado imobiliário
Planeta Educar, guia de cursos e escolas